quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Marco Aurélio Vasconcellos emociona na Confraria Nativista

Reportagem: João Cléber Caramez
Fotografia: Matias Moura

Na última sexta - feira, 13, o cantor nativista Marco Aurélio Vasconcellos esteve pela segunda vez na Confraria Nativista, em Santa Cruz do Sul. Na apresentação, trouxe um repertório repleto de sucessos da sua carreira. Músicas consagradas em festivais, como a Califórnia da Canção Nativa. O público teve a oportunidade de ouvir Entardecer, Um gaúcho pega a estrada, Veterano, Guri, Pássaro perdido, Cordas de espinho, Ascenção de queda de um ginete, além de músicas de "allá" como Merceditas e Balada p'a un loco. O sentimento de emoção foi o que envolveu todos os que estiveram no Quiosque da Praça, por verem clássicos do nativismo imortalizados na voz de um cantor que construiu toda sua história na música regional através dos palcos festivaleiros.

Ele destacou no encerramento que "é muito gratificante cantar para um público tão atento". Esta afirmação pode ser a síntese do que foi a noite. Além disso, muitas pessoas puderam tirar fotos e adquirir o novo trabalho de Marco Aurélio Vasconcellos, intitulado "Da mesma raíz", em parceria com Martin César Gonçalves e Paulo Timm, com o autógrafo do cantor.
Outro ponto salientado pelo cantor é o prazer de retornar à cidade. "Fui muito bem recebido na primeira oportunidade e voltar para um lugar onde podemos encontrar amigos é muito prazeroso". As músicas do novo CD ainda não fazem parte da apresentação. Marco diz que "foi um trabalho pensado como um todo, onde todas as músicas tem uma razão de fazerem parte do disco. Isso contribuiu para a qualidade do trabalho. Já estamos fazendo alguns shows para lançá-lo".

Conhecido por fazer parte do grupo Os Posteiros nas décadas de 70 e 80, o cantor interrompeu sua carreira e depois retornou aos palcos. De forma recente, também esteve novamente em festivais, quando participou do 25° Reponte da Canção, de São Lourenço do Sul, onde ficou em 2° lugar com a música A pedra da boleadeira, em 2009. No mesmo ano, levou a Calhandra de Ouro, prêmio máximo da 36ª Califórnia da Canção Nativa, de Uruguaiana, com a música A sanga do Pedro Lira.

Fonte: Blog de Terra, Campo e Galpão

Nenhum comentário: